otosim_perda_auditiva

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o zumbido afeta 278 milhões de pessoas e no Brasil, são 28 milhões que convivem com o sintoma. O zumbido pode levar à depressão e ansiedade, fazendo com que a pessoa se torne inclusive disfuncional. Porém há tratamentos que envolvem até mesmo o uso de aparelhos auditivos que possuem geradores sonoros, que ao “competir” com o chiado característico do zumbido, conseguem tratá-lo.

O que é o Zumbido?

Zumbido, tinitus ou acúfenos, é a percepção do som ou ruído em um ou dois ouvidos quando não há som advindo do ambiente, ou seja, é um barulho que a pessoa escuta dentro do ouvido ou da cabeça.

Embora não exista uma cura comprovada para o zumbido, o entendimento dos sintomas, causas e doenças relacionadas pode ajudar a aliviar, controlar ou bloquear a sensação de zumbido nos ouvidos.

Sintomas de zumbido

O zumbido pode ser grave, agudo, como um chiado, uma cigarra, apito ou como muitos relatam como o som de uma “panela de pressão”, ou como se a TV estivesse ligada.

Para alguns, o zumbido parece ficar mais alto à noite, pouco antes de dormir e pode ser constante ou intermitente.

Em casos graves, o zumbido nos ouvidos é alto o suficiente para interferir no trabalho ou atividade diária, podendo ocasionar depressão e ansiedade.

Causas do zumbido

É importante investigar o que pode vir causa a sensação de zumbido. Enquanto muitas pesquisas ainda são inconclusivas a respeito, existem algumas causas comuns que, em geral, são conhecidas por agravar a condição:

    • Fator Idade: Por volta dos 60 anos, a sensibilidade auditiva pode piorar. A perda auditiva associada ao envelhecimento natural é denominada presbiacusia e pode ser acompanhada de zumbido.
    • Exposição a ruídos altos: Estar exposto a ruídos altos ocupacionais em uma base regular de equipamentos pesados, motosserras ou armas de fogo é uma causa comum de zumbido. No entanto, mesmo que você não trabalhe em um ambiente barulhento, ainda pode sofrer os efeitos da exposição ao ruído ouvindo música alta através de fones de ouvido, assistindo com frequência a apresentações de música ao vivo e fazendo passatempos barulhentos.
    • Hábitos insalubres: os pesquisadores não sabem ao certo o porquê, mas beber álcool, fumar, comer certos alimentos e consumir bebidas cafeinadas pode ter um papel no zumbido.
    • Problemas comuns: Ter anemia, alergias, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, problemas circulatórios, diabetes e hipoatividade da tireóide são condições médicas que podem levar ao zumbido.

Tratamento

O primeiro passo é se consultar com um médico Otorrinolaringologista, ele irá solicitar exames complementares para entender de onde vem o zumbido. Alguns medicamentos auxiliam na diminuição da ansiedade e do zumbido, enquanto o uso de outros fármacos também pode desencadear o zumbido, por isso é de extrema importância investigar e avisar ao seu médico quais remédios está fazendo uso.

Pessoas com zumbido realmente podem vir a sofrer com ele, outras se acostumam com ele e o zumbido começa a fazer parte comum da vida cotidiana. Na realidade elas “aprendem” a conviver, lidar e enfrentá-lo. Algumas pessoas também recorrem a terapias alternativas para encontrar alívio.

O uso de aparelhos auditivos pode ser outra solução para quem tem perda auditiva e zumbido, pois o aparelho auditivo devidamente ajustado funciona como um mascarador do zumbido.

Existem aparelhos com gerador de som que funcionam como terapia coadjuvante, eles produzem ruídos terapêuticos calmantes para desviar o foco do zumbido. Outros dispositivos produzem ruído constante e suave para mascarar o zumbido. O uso desses dispositivos é indicado por um fonoaudiólogo capacitado e de acordo com o tipo de zumbido e grau de incomodo, melhorando assim o zumbido de forma considerável.

Outros tipos de terapia como o TRT (Terapia de habituação do zumbido) é uma forma de terapia projetada para ajudar pessoas que sofrem de zumbido, é um tipo de terapia cognitiva comportamental que auxilia na terapia do zumbido. Além de sessões de aconselhamento, um gerador de ruído branco é usado para criar sons ambientais para anular o zumbido. Alguns fonoaudiólogos possuem capacitação para realizar tal terapia.

Muitas pessoas acham que melhorar sua saúde geral fornece algum conforto de sintomas de zumbido. Isso significa controlar sua pressão arterial, reduzindo o estresse e diminuindo o consumo de cafeína. Outras estratégias de alívio do zumbido incluem exercícios de relaxamento, meditação e visualização.

Embora não exista uma cura comprovada para o zumbido, existem tratamentos que facilitam a ignorar.

Doença de Meniere

A doença de Meniere não está diretamente ligada ao zumbido, mas as pessoas com Meniere frequentemente a experimentam, pelo menos temporariamente. A doença de Meniere é uma doença da orelha interna. Esta doença pode causar pressão ou dor no ouvido, casos graves de tontura ou vertigem e um zumbido. Embora a doença não seja totalmente entendida, várias opções de alívio para o zumbido também podem ajudar nessa doença. Os pacientes são frequentemente aconselhados a reduzir o estresse e diminuir o consumo de cafeína e sódio.

Obtendo ajuda para o zumbido

Se você tem zumbido, você pode estar se sentindo frustrado e desamparado, mas há esperança! O primeiro passo é consultar um fonoaudiólogo em um dos nossos centros auditivos para ajudá-lo a recuperar sua qualidade de vida.